terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Aceitação ou Rótulos?



Foto By Victoria Janashvili

O que você procura?

O assunto é polêmico, mais há tempos que quero abordar este tema.
Já reparou uma coisa? Quantas meninas hoje em dia, entram no universo plus size, fazem um book ou não, e já saem se auto denominando Modelo Plus Size?  Encontram pessoas amadoras do meio, que dizem ser modelos experientes ou se intitulam produtoras, ambas, totalmente despreparadas e inexperientes, fazem um desses trabalhos sem qualquer tipo de remuneração e já se auto divulgam como Modelo Plus Size! 
Hoje, eu não estou aqui  para falar dessa postura que banalizou o termo: "Modelo Plus Size", até mesmo porque, o problema maior nem é esse mundaréu de Modelos Plus Size que surgiram, o problema de fato é que acaba parecendo que para ganhar o passe livre da aceitação do corpo e o ingresso da auto estima, tivessem que obrigatoriamente se tornarem Modelos Plus Size. 
Vejo que muitas dizem se amar,  somente após conseguirem algum tipo de "trabalho" como modelo, é como se tivessem a necessidade de dizer: "Vou provar pra todas aquelas pessoas que me julgaram, criticaram, ofenderam, que eu sou capaz de ser bonita mesmo estando gorda, porque hoje eu sou modelo, faço trabalhos, me aceito, me amo gorda".   Será?
O perigo nisso, é justamente a frustração, o mercado sério plus size de modelos de verdade é difícil e restrito, nem todas aspirantes tem de fato o dom pra coisa, algumas não tem beleza, biotipo, fotogenia, carisma, simpatia suficientes para a profissão. Se essas meninas não se amam por serem só gordas, vão se amar mais por serem modelos gordas? E se deixarem de ser modelos? E quando começarem a receber os "nãos" nos castings? Como que ficará a cabeça dessa menina que ACHA que se ama e se aceita?
É muito mais prático para algumas meninas esconderem sua baixa estima, embaixo de um rótulo de Modelo Plus Size, pois elas terão a oportunidade que sempre sonharam, oportunidade de se auto afirmarem, de se auto iludirem, acreditando que se amam e se aceitam, mas no fundo, beeeem lá no fundo, são infelizes, se odeiam gordas, são preconceituosas com elas mesmas e com as colegas de "profissão". 

Acho que o que vale a pena avaliar, é o que realmente você pensa e quer, podemos ter uma carreira de sucesso em várias áreas, o mundo é feito de oportunidades, existe tanta coisa bacana que a gente pode se identificar e fazer, sem a necessidade de se afirmar enquanto modelo, você pode ser bem sucedida, feliz, sensual, bonita, e não necessariamente tenha a obrigação de ser modelo para se sentir bem.
Vejo meninas com uma visível falta de vocação para modelar insistindo na carreira de uma forma, que sinceramente, tenho receio por está ilusão, muitas perdem tempos preciosos da sua vida, podendo investir em algo que realmente se identifique, muitas são inteligentes, formadas, donas de idéias e criatividade ímpar, capazes de serem muito mais bem sucedidas em uma outra área mais apropriada para elas e continuam insistindo em algo que não se encaixa ao perfil, só para se afirmarem diante da sociedade, amigos, familiares. 

O risco que você corre, é de se decepcionar, de viver uma mentira, uma ilusão. E o dia em que acordar e admitir que não se ama, não aceita o corpo e que precisa de um rótulo para ser feliz, a chance de frustração é muito grande. 
Parem de se auto iludirem, enxerguem suas verdadeiras vocações, se amem pelo que vocês são e não pelo que vocês fazem, se aceitem acima de qualquer rótulo, seja modelo, professora, mãe, dona de casa, balconista, o que importa é buscar sua vocação, sem precisar da necessidade de se afirmar e se apoiar em cima de um rótulo. Pare e reflita, use o bom senso, você realmente vê vocação na carreira de modelo? Você preenche os atributos necessários para que uma grife lhe contrate? Você quer ser modelo ou quer provar para sociedade que é capaz? Você é uma gorda feliz ou uma modelo feliz?

Não corra o risco de viver uma ilusão,  enxergar que não tem vocação para a carreira não quer dizer que você é pior, nem melhor que ninguém, muito menos é sinal de fracasso, é sinal de coragem, coragem de admitir que você é capaz de ser bem sucedida em muitas outras áreas e que independente da área de trabalho que optar, conseguirá manter sua auto estima.
Você pode e deve se sentir bem, se amar, se gostar, se sentir sensual, bonita, chique, provocante, poderosa, independente do seu tamanho, medida, manequim, sendo modelo ou estando em qualquer outra profissão.

Pensem nisso meninas! Torço por vocês! 

Beijão

Cris Miranda

2 comentários:

Alex Costa disse...

Como sempre, você é coerente naquilo que posta...é minha versão feminina....ahahahahaa

Amiga Gorda disse...

Belíssimo e motivador. Para ser feliz e estar bem consigo mesma, gorda/magra/alta/baixinha.., o que determina mesmo é como você se vê, independente de rótulos ou títulos e você soube mostrar isso muitíssimo bem.

Parabéns pelo post

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!!

Copyright © 2011 Cris Miranda | Design by: Alan Designs